Cores no feng shui e publicidade

feng shui

“O uso das cores é mais do que colorir um ambiente,
é principalmente trabalhar esse ambiente.”
Naira Rossiter

O estudo das cores começa pela pergunta: Qual a importância das cores em nossas vidas?
David Sun diz em um seu poema: Nós somos cor,
Cor viva.
Olhando de maneira mais ampla, podemos dizer que o mundo é cor. Tudo a nossa volta é cor, podendo mudar nossa energia pessoal e trabalhar nossa qualidade de vida. Daí a importância de seu uso consciente no nosso dia a dia. Seja nos ambientes que vivemos, nas roupas que usamos, nos alimentos que comemos e em cada coisa que nos rodeia; seja no conhecê-las para usá-las melhor e atingir com esse uso nossos objetivos.
A cor influencia nossa energia da manhã a noite. Ao abrirmos e fecharmos os olhos no começo e fim do dia, vemos a cor do teto. Quando saímos de casa, vemos a cor de todas as coisas a nossa volta. Quando essas cores entram em contato com nossos olhos afetam nossa energia, gerando uma reação física em cadeia. Essa reação em cadeia tem início com nossa visão: “Dentro do corpo humano, o cérebro desempenha várias funções. Uma área do cérebro controla nosso comportamento físico, outra estimula nossas emoções, outra a fala, e outra ainda ajuda nossos processos mentais. Tudo o que vemos, faz com que sinais sensoriais sejam enviados através do nervo ótico a determinadas áreas do cérebro, que por sua vez, enviam sinais ao nosso corpo para reagir ao que os olhos vêem”. Portanto, as cores de tudo que vemos influenciam nosso comportamento, nossos movimentos físicos, nossa linguagem, pensamentos e sentimentos, conseqüentemente, nossas vidas.
A cor influencia nossa vida/ mundo de quatro formas:
1. Define para nós o que existe e o que não existe. Portas de vidro, por exemplo, muitas vezes as pessoas esbarram nelas, por não se aperceberem que estão ali. 
2. Revela como está nossa saúde. A cor de nosso rosto e corpo revela se estamos bem.
3. Estrutura nosso comportamento.
4. Inspira emoções.
As cores através de sua vibração e de seus significados simbólicos de origem 
social, religiosa, cultural, familiar e individual, vão nos afetar em diversos níveis. Conseqüentemente, com elas podemos trabalhar nossa energia pessoal. As cores através de suas propriedades vão afetar a temperatura, o grau de luminosidade, e a idéia de dimensão dos ambientes. Conseqüentemente com elas vamos trabalhar a energia dos ambientes. Com elas vamos trabalhar o mundo externo. Fora de quatro paredes. Com a consciência de que a lição maior em matéria de cor, encontramos na natureza, com seus matizes, nuances e formas, numa harmonia que só o Poder Maior seria capaz de criar.
Considerando que as cores são mais do que percebemos, mais que suas características intrínsecas, passamos a vê-las como arquétipos, estímulos, indicadores da preferência, da visão de determinados grupos. A análise das cores passa a ter uma conotação mais profunda. È estudo da interação cor / homem, cor / fator social, cor e sua relação com o entorno. É estudar a cor e sua relação com o sentimento, a experiência de quem a vê. Muitas vezes os fatores simbólicos induzem a sentimentos diferentes, inclusive opostos ao da vibração da cor, nas pessoas que entram em contato com elas. 
A visão acima mencionada nos conduz a uma análise dos fatores que influenciam nossa resposta as cores. Carlton Wagner, diretor do Centro de Pesquisa da Cor , em Santa Bárbara, Califórnia, foi uma das pessoas que as estudou através desse enfoque, que é indicador, que nos ensina a usar melhor nossa relação com elas, e a nos compreender através delas.
Nossa percepção das cores nos chega através do contato visual com elas. As informações são enviadas para nosso cérebro, o qual é mediador entre as informações recebidas em um determinado momento e as que foram lá armazenadas ao longo da vida. Este é o processo que nos faz ter uma determinada reação às cores. As informações visuais recebidas, somadas às informações introspectadas sobre elas, determinam os fatores que influenciam nossa resposta às cores:
Características intrínseca das cores: É o fator que mais conhecemos, que nos diz que o vermelho trabalha o nível físico nos dando energia, nos ajudando a realizar nossos sonhos; que o laranja trabalha o nível emocional, nos trazendo alegria e prazer de viver; que o amarelo trabalha o nível mental e nos dá autoconfiança, carrega consigo a alegria, como um raio de sol que ilumina num momento breve um espaço de nossas vidas; que o verde nos faz relaxar,trabalha nossos sentimentos e nos traz equilíbrio, que o azul nos traz tranqüilidade e alivia o estresse, que o violeta nos faz introspectar e aprender com nossas experiências.
As características acima mencionadas, fazem parte da personalidade das cores, interiorizadas pelas pessoas através de frases como: 
Dia cinzento (o cinza é uma cor considerada triste)
Bandeira branca (o branco é conhecido internacionalmente como a cor da paz) 
Tudo azul (azul é a cor que traz tranqüilidade, paz)
Mundo cor de rosa (cor do amor universal) 
Fatores hereditários: Nós reagimos de determinada maneira as cores , por fatores genéticos herdados de nossos pais. É o caso das pessoas daltônicas.
Associações conscientes e inconscientes: Pessoas ou acontecimentos do passado podem fazer com que nossa reação às cores seja diferente do esperado em função de suas características intrínsecas. Uma pessoa que teve no passado uma experiência de vida desagradável associada a uma cor, vai responde a ela de acordo com o registro mental dessa experiência.
Percepção familiar: Na fase adulta tendemos a responder a estímulos da mesma forma pela qual fomos condicionados na infância.
Fatores culturais e sociais: Atitudes culturais em relação a cores específicas, podem variar em diferentes regiões e sociedades, e podem ser temporárias ou não. 
Temporária: Durante o natal o verde e o vermelho nos reportam aos sonhos e esperanças que este período nos traz
Não temporárias: As cores da bandeira dos países. Os países são assinalados como presentes em determinadas ocasiões através das cores de suas bandeiras. A associação é feita automaticamente
Fatores geográficos: A localização geográfica vai interferir na escolha das cores e na personalidade das pessoas. Aquelas que vivem em países tropicais, tendem a usar roupas coloridas, devido a influência da exuberância de cores da natureza. Aquelas que moram em países de clima frio, tendem ao monocromatismo e ao uso de tons mais sombrios, principalmente no inverno. A mesma coisa acontece com a arte desses países. 
Sexo: A preferência das cores é também influenciada pelo sexo das pessoas. Podemos entender esta diferença como reflexo da predominância de características yin (feminina) ou yang (masculina), nas pessoas. Este princípio é adotado quando do uso das cores complementares da roda das cores.
Faixa de poder aquisitivo: Todos os grupos econômicos usam indicadores de status, e as cores são um dos mais importantes. Exemplo: As limusines são em sua maioria pretas, denotando refinamento, luxo, poder aquisitivo alto. 
Faixa etária: A idade tem grande interferência na escolha das cores, pois o passar do tempo interfere em nossas vidas e nos fazem optar por novas nuances delas. Existem estudos que comprovam que pintores idosos tendem a usar nuances mais claras das cores em seus quadros do que no período de sua juventude. Este fato pode ser atribuído a perda de vitalidade ou a redução da capacidade visual que o passar do tempo nos traz. 
É conhecido que a medida que a pessoa envelhece o cristalino vai perdendo sua elasticidade e se torna relativamente sólido, isto pode ser uma explicação.
Daí concluirmos que com as cores podemos trabalhar nossa energia pessoal a nível físico, mental e espiritual. Com as cores podemos trabalhar a energia dos ambientes, seja temperatura, grau de luminosidade, ou idéia de sua dimensão. Com as cores podemos trabalhar o mundo externo. Fora de quatro paredes. Com a consciência de que a lição maior em matéria de cor, encontramos na natureza, com seus matizes, nuances e formas, numa harmonia que somente o Poder Maior seria capaz de criar. 
Mas, de maneira geral, o estudo das cores mostra o campo em que elas atuam e seus efeitos.
Em 1665 Isaac Newton descobriu como é criado o espectro das cores, concluindo que a luz se compõe de uma série de ondas, cada uma com um comprimento e uma freqüência. Quando essas ondas penetram em um prisma, cada uma delas se refrata em um determinado ângulo. Ele observou que a luz vermelha, com maior comprimento de onda e a menor freqüência, tem o menor ângulo de refração, e que o violeta, com o menor comprimento de onda e a maior freqüência, tem o maior ângulo de refração.
O arco- iris aparece quando os raios de sol refratam as gotas de chuva.
A seguir faremos uma análise comparativa entre as cores do arco-iris e as cores dos chakras, mostrando que as cores, suas áreas de atuação e características, estão relacionadas com as áreas de atuação dos chakras e suas diversas características.
Cores no feng shui e publicidade Cores no feng shui e publicidade Reviewed by André Rossiter on 07:39 Rating: 5

Nenhum comentário:

André Rossiter. Tecnologia do Blogger.