A História por trás da Criação do Google

A História por trás da Criação do Google

No verão de 1995, um grupo de calouros da universidade de Stanford foi convidado a fazer um tour pela baia de São Francisco. O guia era Sergey Brin. Ele tinha 22 anos na época. Nasceu em Moscou, na Rússia. Veio para os Estados Unidos aos seis anos. É magro e não muito alto. Tem o cabelo meio ondulado e o nariz um pouco saliente. Ele é educado, pensativo, prático e modesto. Sua voz é carregada de um leve sotaque russo. Quando fala, assume a seriedade de um catedrático. Esse era o sonho de seu pai: que o filho se tornasse um acadêmico. “Minha esperança era de que algum dia ele concluísse um pós-doutorado e se tornasse alguém, talvez um professor”, o pai dele disse, tempos depois. “Certo dia, alguns meses depois de ele ter ido para Stanford, perguntei se estava fazendo algum curso avançado. Ele disse: sim, curso avançado de natação”.
Na metade do tour, enquanto o grupo subia e descia as fabulosas ladeiras de São Francisco, um dos calouros – Larry Page – se aproximou de Sergey. Tinham a mesma idade e, assim como Sergey, Larry era formado em ciências da computação. Também como Sergey, graduara-se com honrarias. E pensava, também como Sergey, em fazer doutorado em Stanford. O resto do dia os dois conversavam muito. Discutiram temas variados, principalmente computação.
Poucas semanas depois, Page decidiu fazer seu doutorado em Stanford e se mudou para lá. Nos meses seguintes, os dois se uniram em torno do mesmo projeto de pesquisa, tornando-se inseparáveis. No campus, os colegas não se referiam a eles como indivíduos separados. Eram conhecidos como “Larrye Serguey”. A paixão deles eram os sistemas de busca da internet. Na época, pesquisar qualquer tipo de informação na internet não era como hoje. Era uma tarefa complicada e quase inútil. “Você obtinha uma grande quantidade de informação, mas completamente sem sentido”, explica Rajeev Motwani, professor de Stanford. Os buscadores mais conhecidos na época, Alta Vista e Yahoo, definiam os resultados quase por mero acaso. Não havia nenhum tipo de seleção refinada dos resultados. Larry e Sergey passaram a refletir sobre a possibilidade de criar um sistema que valorizasse melhor as relações entre os sites. Um ano depois, eles haviam criado um sistema novo que chamaram de PageRank.
O PageRank seguia o mesmo padrão dos sistemas que existiam no mercado. A única, mas radical, diferença era a forma como ele classificava o resultado das buscas. Eles haviam criado uma família de algoritmos que atribuíam a cada página da web uma classificação de relevância. Ele não classificava as páginas apenas pela sua popularidade, verificava também quantas páginas mostravam links para um site em particular e usava essa informação para determinar a importância de cada página.
Em março de 2008, Larry e Sergey decidiram vender os direitos de uso do PageRank. Primeiro, o ofereceram para a Alta Vista, na época o maior site de busca disponível. Pediram um milhão de dólares. A Alta Vista torceu o nariz. Disse que tinha a cultura de não dar muita importância à tecnologia que não era inventada dentro da própria empresa. Eles então bateram na porta de outras companhias, como Excite e Yahoo, mas ninguém mostrou interesse. Até aqui temos dois jovens estudantes muito brilhantes com uma ideia, mas sem saber exatamente o que fazer com ela. A questão era: have-ria realmente futuro nesse sistema?
Em agosto de 1998, tentaram uma nova saída: oferecer uma parceria para um investidor chamado Andy Bechtolsheim, dezoito anos mais velho que Larry e Sergey. Ele havia nascido na Alemanha e estudara engenharia em Stanford. Aos 27, quando Larry e Sergey tinham nove, Bechtolsheim e outros três colegas fundaram a Sun Microsystems. O empreendimento o tornou bilionário antes de completar trinta anos.
Larry e Sergey explicaram o funcionamento do PageRank em detalhes a Bechtolsheim, contando suas tentativas frustradas de vender o sistema e que, por isso, pensavam em abrir sua própria empresa. Após ouvi-los com interesse, Bechtolsheim, do alto de seus 55 anos, disse: “Essa é a melhor ideia que eu ouvi nos últimos anos. Quero fazer parte dela”. Sem estender as negociações, fez um cheque no valor de cem mil dólares e o deu para os dois. Foi um começo modesto, mas a partir daí, as coisas começaram a acontecer mais rapidamente. Hoje, pouco mais de uma década depois, Google, a empresa criada por Larry e Sergey, vale quase US$ 60 bilhões. O PageRank, esse mesmo sistema que Alta Vista, Excite e Yahoo não valorizaram, tornou o Google o site mais visitado do mundo.
A questão é: como executivos da Alta Vista e do Yahoo não perceberam o valor do PageRank? Esses empresários não eram pessoas comuns, mas altamente reconhecidos pelo seu empreendedorismo e inovação: haviam revolucionado o mundo da comunicação. Mas por que não conseguiram ver o potencial da ideia de Larry e Sergey? O que fez, contudo, que Andy Bechtolsheim visse, num piscar de olhos, o que passou despercebido pelos outros executivos? Por que algumas pessoas têm uma incrível capacidade de ver oportunidades onde outras não conseguem ver nada ou apenas obstáculos?
Texto extraído do livro “Ninguém Enriquece por Acaso”.
A História por trás da Criação do Google A História por trás da Criação do Google Reviewed by André Rossiter on 14:43 Rating: 5

Nenhum comentário:

André Rossiter. Tecnologia do Blogger.